Propostas de Atividades

Para alcançar o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, na sua tradução através da componente curricular de Cidadania e Desenvolvimento (desenvolvimento de princípios, valores e áreas de competências), é necessário implementar ações concretas nas escolas que se traduzam numa mudança orientada para o sucesso dos alunos.

Não apenas o "sucesso" entendido enquanto obtenção de bons resultados na provas de aferição e exames, mas sucesso entendido à luz de uma visão de escola e de futuro que seja relevante para os jovens do nosso tempo implicando uma atitude cívica individual (identidade cidadã, autonomia individual, direitos humanos).

O desenvolvimento de mecanismos de inclusão que atendam à diversidade de alunos e de experiências de aprendizagem relevantes é pois, particularmente importante, num momento em que, no âmbito da sua Estratégia de Educação para a Cidadania na Escola, esta proponha que os alunos realizem aprendizagens na componente curricular de Cidadania e Desenvolvimento, de forma plural e responsável, em todos os momentos de construção de si como cidadãos e de sociedades mais justas e inclusivas, no quadro da participação e coresponsabilização democrática, do respeito pela diversidade e da defesa dos Direitos Humanos.

Enquanto missão de toda a escola, a sua renovação implica a tomada de decisões que deve ter em conta, entre outros aspetos, as vozes daqueles que, de forma mais direta, são os beneficiários da escola, os alunos.

Compass - Manual para a Educação para os Direitos Humanos com Jovens 

Este manual é um recurso pedagógico que contém informação sobre temas e desafios atuais relacionados com Direitos Humanos, bem como atividades e sugestões para trabalhar com os jovens, no sentido da sua capacitação enquanto cidadãos e cidadãs responsáveis pela defesa dos Direitos Humanos.

São cerca de 60 atividades propostas, adaptáveis às necessidades das pessoas aprendentes e aos contextos de implementação (quer de educação formal, quer de educação não formal).

Convenção de Lanzarote - Explicada às Crianças

Esta convenção tem 50 artigos, mas não são fáceis de entender por crianças e jovens, pelo que esta publicação foi preparada especialmente para dar a conhecer aos seus leitores mais jovens os direitos e a proteção dadas pela Convenção de Lanzarote

Como existem muitas crianças que estão a passar por situações de exploração sexual e de abusos sexuais, o Conselho da Europa considerou importante elaborar uma convenção com normas especiais para prevenir e proteger as crianças contra a exploração sexual e os abusos sexuais: a Convenção do Conselho da Europa para a Proteção das Crianças contra a Exploração Sexual e os Abusos Sexuais.

Referências - Combate do Discurso de Ódio Online através da Educação para os Direitos

Este Manual constitui-se como um recurso relevante para a ação pedagógica no âmbito do combate ao discurso de ódio e à promoção dos Direitos Humanos.

O Manual, concebido para a ação com jovens entre os 13 e os 18 anos, inclui atividades que podem ser adaptadas a outros públicos e ser usado na escola, bem como em contextos de educação não formal.

O Manual foi criado pelo Conselho da Europa para apoiar a Campanha "Movimento Contra o Discurso de Ódio - Jovens pelos Direitos Humanos Online". A versão portuguesa, editada pela Fundação Calouste Gulbenkian, inclui informação recente sobre a referida Campanha, assim como sobre o "Guia dos Direitos Humanos para os Utilizadores da Internet", do Conselho da Europa.